Exército de Salvação atua na Índia durante a segunda onda do COVID-19


O Exército de Salvação em toda a Índia está dando sua resposta e contribuição à medida que os casos diários registrados de COVID-19 atingem níveis sem precedentes na Índia. Nosso Movimento Internacional opera vários hospitais e clínicas em todo o subcontinente. Embora a política do governo indiano tenha sido, principalmente, fornecer tratamento para pacientes com COVID-19 por meio de suas próprias unidades de saúde, os hospitais do Exército de Salvação, em várias regiões, estão agora admitindo um grande número de pacientes com sintomas de COVID-19, conforme a demanda do sistema nacional excede sua capacidade.

O Líder Internacional do Exército de Salvação, General Brian Peddle, escreveu aos Salvacionistas da Índia, dizendo: "Seu país e seu povo estão chamando a atenção do mundo devido ao aumento atual de COVID-19 e seu impacto sobre as famílias, vizinhos e comunidades".

Os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde relatam um total de mais de 17,6 milhões de casos de COVID-19 no país até o momento. Destacando o aumento de casos que afetam o país recentemente, o aumento diário de casos notificados em 26 de abril foi de 352.911 indivíduos (um aumento diário de mais de dois por cento). O número de mortes relatadas diariamente devido ao vírus também está em um nível muito alto. O General diz: “Nossos corações estão comovidos, e eu escrevo ... assegurando-lhe nossas orações e apoio prático”.

A carta do General também testemunha o forte serviço realizado pelo Exército de Salvação na Índia. Ele escreve: “Estou orgulhoso do trabalho que está sendo feito em nossos hospitais e estou ouvindo, por parte de seus líderes, histórias de coragem e grande fé”.

Uma reunião da força-tarefa do COVID-19 do Quartel Internacional do Exército de Salvação discutiu relatórios atualizados da situação em todo o país. A equipe também considerou quais medidas adicionais poderiam ser tomadas para fortalecer nossa resposta, com base nas melhorias da capacidade e de equipamentos que já foram implementados.

Oeste

No Estado de Maharashtra, o Hospital Evangeline Booth (EBH) do Exército de Salvação em Ahmednagar é uma das poucas instalações não administradas pelo governo que cuida de pacientes com coronavírus desde março de 2020. Na sexta-feira, 23 de abril de 2021, 160 leitos estavam ocupados por pacientes com o COVID -19, com 50 necessitando de oxigênio. Embora vários tenham se recuperado e recebido alta, outros 27 pacientes com sintomas foram internados na segunda-feira, 26 de abril.

O administrador do hospital, Major Devdan Kalkumbe, compartilha: “O Hospital Evangeline Booth está dando tratamento 100% gratuito aos pacientes contaminados pelo COVID-19. Atualmente, o Hospital tem 155 pacientes; 90% deles recebem alta quando recuperados e o governo local tem apreciado muito o que o Exército de Salvação está fazendo. Nossa preocupação é que a segunda onda seja mais grave e mortal do que a primeira, e o risco é que não tenhamos oxigênio suficiente para as demandas mais altas”.

O governo local apoiou nosso hospital com o fornecimento de um pouco de oxigênio extra, com a Sede Internacional do Exército de Salvação fornecendo um ventilador adicional e equipamentos de proteção pessoal essencial. Os salários dos funcionários estão sendo apoiados localmente, juntamente com planos para ajudar com refeições e transporte - as dificuldades são particularmente exacerbadas quando os toques de recolher noturnos interrompem as viagens normais para o trabalho.

O Exército de Salvação também opera o Hospital Emery no Estado de Gujarat. O hospital estava pronto para responder no início da crise, mas não foi acionado para atender. Desta vez, no entanto, essa preparação está sendo colocada em ação com 50 leitos, com todos os recursos necessários para pacientes com COVID-19.

Sul

O Hospital Catherine Booth em Nagercoil, no extremo sul da Índia, foi solicitado pelo governo indiano a receber até 40 pacientes. No momento da redação deste relatório, 23 leitos estão ocupados por pessoas com sintomas de coronavírus, com previsão de mais pacientes nos próximos dias conforme a situação piorar.


Com os pacientes que não podem receber visitantes, os trabalhadores do Exército de Salvação estão se empenhando em fornecer refeições e outros apoios essenciais, bem como os próprios cuidados terapêuticos.

As clínicas que atendem comunidades menores em Putencruz e Kanghaza não observaram um aumento no COVID-19 localmente e atualmente não estão prevendo um papel importante na resposta do COVID-19.

Norte

Embora seja principalmente especializado em oftalmologia, o Hospital MacRobert em Dhariwal, Punjab, trabalhou arduamente para preparar uma instalação com capacidade para mais de 150 leitos para pacientes com COVID, o que reduz a pressão sobre a provisão governamental. O programa de treinamento de enfermeiras, bem estabelecido aqui, também foi colocado à disposição, com grupos de 10 estudantes de enfermagem indo para a comunidade rural, ao redor do hospital para realizar testes de PCR e outros exames de saúde. Os médicos do Exército de Salvação também apoiaram o governo na implementação da campanha de vacinação do COVID-19 a nível local.


Central

Enquanto o Hospital Evangeline Booth em Andhra Pradesh aguarda a permissão oficial para abrir, um novo serviço de ambulância começou na segunda-feira, 26 de abril, atendendo à comunidade de Nidubrolu. Pessoal especialmente treinado e com equipamento de proteção completo estão apoiando iniciativas de saúde pública do governo.

Transmitindo uma perspectiva nacional, o Coronel Lalhmingliana, Diretor Executivo Nacional da Índia, diz: "No momento, o que podemos fazer é trazer esperança como realidade para as pessoas que estão perdendo a esperança."

A carta do General aos Salvacionistas na Índia afirma isso com uma citação de Josué 1: “Seja forte e muito corajoso”. Ele também reitera a importância de cooperar com as orientações de saúde pública do governo e que se siga as boas práticas de higiene. “Fui vacinado”, escreveu o General, “encorajo-os a receber a sua”.

47 visualizações0 comentário