DOE AGORA

Sua ajuda pode mudar vidas!

Bom Dia! Bem vindo ao site da sede Exército de Salvação no Brasil.
  • missao-esportiva

Foco de oração - 2014

Pessoas sem um lar

Certa manhã, por volta de 1880, cheguei cedo à casa de William Booth. Quando me viu, ele exclamou: ”Bramwell, você sabia que homens passam a noite inteira dormindo embaixo de pontes?”

Ele havia chegado a Londres tarde na noite anterior vindo de alguma cidade do sul da Inglaterra e precisava atravessar a cidade para chegar à casa. O que ele viu naquele retorno noturno foi o responsável por aquele tornado matinal. Ele me perguntou se eu sabia que homens dormiam à noite sob as pontes.

“Ora, sim,” eu respondi, “muitos coitados, imagino eu, fazem isso.”

“Então você deveria ter vergonha de si mesmo por saber e não ter feito nada por eles. Vá e faça algo!” (Bramwell Booth, Echoes and Memories)

Mais de 125 anos depois, o Exército de Salvação é uma das maiores organizações provedoras de abrigos emergenciais em todo o mundo. Todavia, mais pessoas carecem de um lar seguro hoje, do que em toda a história da humanidade.

É difícil determinar quantas pessoas sem teto existem hoje no mundo. O dado mais exato que temos é uma estimativa conservadora das Nações Unidas de 2005, que estima o númeo em 100 milhões. Isso não inclui as pessoas que moram em locais provisórios como prédios abandonados, veículos, refúgios ou barracas improvisadas. O relatório também não incluiu os “sem teto escondidos”, que pulam de abrigo em abrigo ou moram em casas de amigos. É estimado que pode haver outros 100 milhões de sem teto, elevando o número da população total para 200 milhões. (http://www.shelter20.com/homeless-statistics/)

Até o final de 2012, o mundo tinha 15.4 milhões de refugiados, 937.000 requerentes de asilo e 28.8 milhões de pessoas foram obrigadas a fugir dentro das fronteiras dos seus próprios países. (Estatísticas do Escritório das Nações Unidas para Refugiados http://www.cbc.ca/news/world/world-s-displaced-people-at-18-year-high-of-45-2-million-1.1378212)

Então, um mestre da lei aproximou-se e disse: “Mestre, eu te seguirei por onde quer que fores”. Jesus respondeu: “As raposas têm suas tocas e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça” (Mateus 8:19, 20).

“Pois não temos aqui nenhuma cidade permanente, mas buscamos a que há de vir.” (Hebreus 13:14)

“Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim. Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar. E se eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para mim, para que vocês estejam onde eu estiver”. (João 14:1-3)

A tradição israelita tem consciência das suas raízes sem teto. Abraão saiu de Ur e depois de Harã para encontrar uma pátria. Israel saiu de Egito para encontrar um lar – um local. E a retórica da Torah, suas tradições reunidas e cujo formato final foi resultado do exílio dos sem teto, reconhece que o selo do itinerante e do desamparado e despojado, da escravidão e da opressão necessitam permanecer.

Todo homem poderá sentar-se
debaixo da sua videira
e debaixo da sua figueira,
e ninguém o incomodará,
pois assim falou
o Senhor dos Exércitos. (Miquéias 4:4).

A retórica da videira e da figueira está ligada à ideologia de lar. Na sociedade ideal, divina, cada pessoa – independente de estrutura familiar – teria um lugar seguro para morar. Teriam as necessidades básicas de vida, assim como tempo de lazer para desfrutar delas. Essa complexidade de idéias nos lembra que um lar é mais do que uma casa. (B. Power (2006), The quest for home: a search for affordable housing. Unpublished manuscript.)

Oração pelas pessoas sem teto

Ouça a nossa oração hoje por mulheres e homens, meninos e meninas que são desabrigados. Por aqueles que dormem embaixo das pontes, nos bancos das praças, na frente das lojas ou em estações de ônibus. Por aqueles que só conseguem encontrar abrigo à noite, mas que precisam vagar pelas ruas de dia. Por famílias destruídas por não poderem pagar o aluguel. Por aqueles que não têm familiares ou amigos que lhes possam acolher. Por aqueles que não têm um lugar para guardar os objetos que lhes pertencem. Por aqueles que sentem medo e perderam a esperança.

Por aqueles que foram traídos pela segurança social. Por todas essas pessoas oramos, para que encontrem abrigo, segurança e esperança. Oramos por aqueles de nós que têm casas quentes e camas confortáveis.

Que não entremos num estado de complacência ou de esquecimento.

Jesus, ajuda-nos a ver Tua face nos olhos de cada pessoa que encontrarmos para que sejamos capacitados, através de palavra e ação e dos meios políticos que temos, a trazer justiça e paz aos sem teto. Amém.

(Escrito por Carol Penner, Comitê Central Menonita, Canadá, 2009.)